26 de jul de 2011

UM NOVO SÉCULO, UMA NOVA AVÓ, AS AVÓS DE SEMPRE

Nem de longe as avós do Século 21 se parecem com as avós da minha infância. Aquela típica vovó Dona Benta, que sentava na cadeira de balanço para fazer tricô e vivia cercada de netos nas férias escolares é a imagem de um tempo cada vez mais distante.

No ano passado escrevi que as avós de hoje são diferentes. Modernas, elas trabalham em tempo integral, frequentam academia de ginástica, têm vida sexual ativa e estão bombando nas redes sociais. Pois é, já não se fazem mais avós como antigamente, rs.

Eu venho de um tempo diferente e as melhores lembranças da minha infância têm a imagem muito nítida da casa da minha avó materna, dona Julia. Eu e minha irmã crescemos no colo dela, embaladas entre redes, cadeiras de balanço e músicas de Emilinha Borba e Dolores Duran. Fomos mimadas por todo o amor que uma avó poderia dar às duas únicas netas.

Na casa de vóinha a gente podia acordar a qualquer hora, comer alfenim de coco antes do almoço e bala Soft sem medo de engasgar, rs. Ela fazia um bife de panela que até hoje não comi outro igual e ainda sinto o cheirinho quando lembro dela. E se tinha feijoada para o almoço, ah!, a farra estava garantida, eu e minha irmã comíamos sentadas no chão um prato cheio de feijão com farinha e vóinha fazia bolinhos com a mão e dava na boca da gente. Era delicioso! :)

Dona Julia partiu há mais de 20 anos e nunca foi esquecida por nenhuma das pessoas que a conheceram e foram contagiadas por sua alegria e vitalidade. Minha mãe, seguindo seu exemplo, foi uma avó igualmente maravilhosa, e enquanto esteve entre nós meu filho também teve a melhor avó que um neto poderia ter!!!

Dizem que ser avó é ser mãe duas vezes... Minha mãe dizia que se ter filhos era bom, ter netos era melhor ainda... Não posso opinar pq ainda não vivi essa experiência, mas quero muito viver e ser uma avó como a que eu tive e como eu vi minha mãe ser com o meu filho.

Passe o tempo que passar, seja em um passado distante ou no auge da modernidade, uma coisa não mudou: a essência das avós continua a mesma, carinho e proteção.

E dessa história toda, além da saudade, fico com uma certeza: nenhum lugar no mundo é melhor e mais aconchegante do que o colo da avó da gente! Quem já provou desse sabor há de concordar comigo! :)

Se vc ainda tem a bênção de conviver com sua avó, corra hoje na casa dela e dê um abraço apertado ou dê uma ligadinha e diga o quanto ela é especial.

E diga também que desejamos a ela um FELIZ DIA DA VOVÓ!!! :)

Eu e vovó Julia


Meu bebê e minha mãe


FELIZ DIA DA VOVÓ!!! :)




2 comentários:

Rosana disse...

Olá Caty.
Que saudades da minha avózinha que partiu faz muitos anos.
À todas vovós, deixo o meu beijo cariñoso e desejo que elas sejam muito felizes sempre!!!!
Beijo pra vc tb, amiga.

Luma Rosa disse...

Não tive muito contato com minhas avós. Por parte de mãe, morreu antes que nasci e por parte de pai, era já bem velhinha, justo porque a minha mãe me teve bem rapinha de tacho. O que mais lembro da minha avó era o seu olhar meiguinho e o tanto que tomava café. Sua casa vivia cheia de gente e a cada chegada era passado um cafézinho fresco - aqueles de coador de pano e com a água sempre a esquentar no fogão à lenha! Obrigada pelas doces lembranças que chegaram a iluminar esse final de tarde.
A primeira vez no seu blogue e cheguei te caçando na web! Primeiro vi os trabalhos no Flickr, depois no Elo7 vi o seu "Me adiciona"... na verdade estou atrás do case para notebook masculino (Código do Produto: 14C448) - Mas no site não tem o tamanho :( Se puder me informar.
Boa semana! Beijus,